A produção de uma vara de pesca começa pelo desenvolvimento do blank, projetado de acordo com as condições da pescaria à qual se destina. Todos os blanks REDAI são projetados e produzidos exclusivamente para a REDAI, buscando oferecer maior desempenho ao pescador, aumentando, assim, as suas chances de sucesso na pescaria.

O desenvolvimento dos nossos blanks inicia-se pela escolha da libragem, da ação e do comprimento de cada modelo. Com essas informações, os engenheiros de tecnologia de materiais definem a combinação dos componentes que serão utilizados na fabricação. A obrigação com a qualidade absoluta de nossos produtos nos leva a buscar os melhores componentes existentes no mercado mundial.

Os nossos carbonos, por exemplo, são das marcas japonesas Mitsubishi e Toray. Os moldes utilizados em nossos blanks são de procedência inglesa. Definidos os componentes, passam-se às definições de parâmetros como temperatura e umidade nas quais as mantas de carbono serão acondicionadas antes de se dar início ao corte e enrolamento dos blanks. Depois de curado em temperatura controlada, cada blank REDAI é resinado e pendurado pela ponta, com o peso fixado no ‘but’, o que lhes garante um alinhamento perfeito.

Testes de ação, resistência e acabamento são realizados em 100% dos blanks REDAI. Os testes de exaustão são realizados por amostragem, em 5% do lote, duas mil vezes em cada blank. A terceira etapa dos testes é realizada no Brasil e no exterior, pelo próprio Jansen Irioda e pelos nossos consultores técnicos, que submetem os blanks REDAI às mais diferentes condições de pesca. Somente depois de todo esse processo o lote é aprovado para montagem das varas.

Esse rigoroso processo de desenvolvimento, fabricação e testes, nos possibilita apresentar um produto de altíssima qualidade para os nossos clientes.